17 de set de 2009

todo mundo tem.

não existe nada absolutamente puro no mundo. desde aquele posto de gasolina que fica na esquina da sua casa e vende gasolina adulterada até o adultério que a sua tia cometeu no passado. não se divide um mundo por maniqueísmo e não se pode nem ao menos dizer que erros são ruins. afinal, como já muito disseram, que seriam das certezas se não errássemos de vez em quando?

perspicácia KD. ????

nada é puro. mesmo as lágrimas que rolam pelo rosto trazem um pouco do sarcasmo preso no fundo da garganta , do arrependimento do adultério que você nunca desconfiaria, e do medo que você perceba o quanto aquela lágrima é falsa, e foi criada simplesmenete para que você pense o melhor da criadora dela.

mesmo o sorriso esconde a satisfação que ela sentiu o dia que você caiu da escada e quebrou um dente, porque foi o mesmo dia que você pediu que ela ficasse quando o que ela mais queria era ter ido viajar. mesmo os lábios, e aquele gosto doce, aqueles sentimentos todos envolvidos, mesmo isso tudo , ainda encontrava um ar amargurado, como quem aproveita cada momento porque sabe que em breve será o último.

e nem se olha mais no espelho porque morre de medo de não enxergar nada, dele refletir por dentro ao invés de refletir por fora. e morre de medo de que as outras pessoas o vejam também, porque mentir para si mesmo é a sua única salvação.

e se encontra presa em fé, em coragem, em força e vaidade. e em um mundo cheio de contradições e de pessoas dizendo exatamente o contrário do que elas gostariam. mas elas seguem mergulhadas numa piscina de covardia, ódio e ressentimento. e se ainda não fosse o bastante, rezam a noite inteira para nunca subirem a superfície.

2 comentários:

Augusto Molkov disse...

Adoro o tema. E ultimamente estou mais interessado em deixar emergir... É duro, mas deixar de ver o mundo só no dual é um passo fantástico!

Milton Fernandes disse...

Nossa, você manda muito bem! Tava precisando de um blog assim pra ler.