5 de fev de 2010

Sinusite is now following you

Eu tenho uma doença. Sim, geralmente essa é a hora que antecipa um grande acontecimento nos livros, ou é a frase final de algum episódio bombástico daquele seriado que você adora. Mas não vou me valer de idéias esdrúxulas para prolongar aquilo que é óbvio para qualquer um que me conheça: eu tenho uma doença. Ela não é psicológica, eu garanto. Quer dizer, bem, eu não vou entrar nesse assunto, porque uma vez um cara disse que todas as pessoas tem algum problema psicológico. Eu sempre achei interessante essa coisa de ter um problema psicológico porque geralmente as pessoas mais legais tem um problema psicológico. As pessoas certinhas a gente nunca viu nem comeu e nem ouve falar.

Desde criança quis ser atriz. Trabalhei profissionalmente dos 16 aos 18 anos e foi provavelmente a coisa mais gostosa que já fiz na minha vida (essa é a parte em que você diz "Po então você nunca fez isso então você nunca então você shiu). E toda pessoa que tem problema psicológico invariavelmente é um pouco artista. E todo mundo sabe que para virar artista basta fazer algum desenho mais elaborado no Sketch e voilà: você já pode se considerar um artista.

Mas um artista não pode ter o nariz zuado, não é mesmo? A menos que seja de drogas, porque rehab é cool e todo mundo quer contratar um artista que já fui para rehab porque drogado ENTENDE MELHOR A VIDA, NÃO É MESMO. Você já teve do outro lado, você já conseguiu entender as letras do Raul Seixas de trás-para-frente então você é considerado superior.E é por isso que eu reservei semana que vem um alergista, para que eu possa finalmente curar o meu nariz e virar artista (a rima não foi proposital).

Acredito que os vídeo-games cresceram junto com a humanidade e priorizaram o livre arbítrio bem como a liberdade de expressão de seus jogadores. Se você duvida, basta comparar Super Mário Bross com Donkey Kong por exemplo. No primeiro, existe toda uma jornada a ser percorrida para que o Mário resgate a princesa e fique com ela no final. Ok, será que vale a pena passar por tudo isso para ficar com a loirinha no final?? I mean, eles NEM SÃO CASADOS. E vamos combinar que para ele saber que ela tinha ido embora é porque ele ficou STALKEANDO na janela até que um dia a janela dela não abriu mais cadê o sutiã verde que ela usa nas quartas-feiras logo depois da aula de piano dela? E então ele foi atrás e descobriu que ela tinha sido raptada e de repente o Mário simplesmente dedicou suas milhares de vidas exclusivas para encontrar a princesa vitimada.

Que tipo de informação isso estava dando para as crianças? "Encontre uma mulher que adora drama e PASSE TODA SUA EXISTÊNCIA FAZENDO ABSOLUTAMENTE TUDO POR ELA". Para mim, essa geração foi a geração dos trouxas: homens fazendo tudo pelas loirinhas para que no final elas ficassem com eles.

E então vieram os macacos.

"King K. Rool seqüestra Donkey Kong. Ele só irá libertá-lo se a família Kong entregar a reserva de bananas de Donkey Kong para ele. Então, Diddy e sua namorada Dixie vão para a Crocodile Isle para resgatá-lo." In Wikipedia
Quer dizer. A mulher aqui já adota outro papel. Dixie não fica em casa fazendo a unha e ligando a chapinha enquanto o namorado se aventura pela selva a fim de resgatar o tal do Donkey Kong.

Ela reage! Ela vai atrás!

ELA QUEIMA O SUTIÃ NA TERRA DO SUPERNINTENDO

Ela enfrenta o mundo todo. E você fica sentado na poltrona com dois rolos de papel higiênico assoando seu maldito nariz simplesmente porque você não tem opinião, não tem iniciativa, não tem emprego, e não te sobrou mais nada na vida a não ser reclamar e continuar espirrando.

4 comentários:

Jack disse...

Quer dizer, bem, eu não vou entrar nesse assunto, porque uma vez um cara disse que todas as pessoas tem algum problema psicológico.

Já você tem todos os problemas psicológicos.

ucy disse...

You fail video games forever. Em Donkey Kong Jumpman aka mario resgata Pauline do Donkey Kong, só digo isso.

E o videogame que mais bem retrata a questão da sexualidade e sufrágio das mulheres é UNREAL só digo isso.

Jack disse...

Agora admite que esse negócio de espirro é desculpinha pra fugir do tanque.

Anônimo disse...

HAHAHA gostei