15 de jan de 2010

Eu assisto BBB porque sou estudiosa do comportamento humano

Era uma vez um garoto que tinha tanta realidade em sua volta que se intoxicou. Intoxicado, manteve-se distante a isso e se prendeu numa ilusão que se materializou em forma de cabo de vassoura. Uma amiga, uma vassoura. Alguém que através da sua mente perturbada foi preenchendo o vazio que ele sentia em si mesmo, alguém que embora nem mesmo falasse nem mesmo existisse , preencheu tudo aquilo que ele precisava para poder continuar. A esse fenômeno, chamou de Maria Eugênia. O Brasil, o conhece como Bambam, o vencedor do Big Brother Brasil 1.

Bonita a história, né?

Não.
Não.

Eu tava só de brinks.

Toda vez que começa o Big Brother Brasil é a mesma história. Uma parte assiste freneticamente, outra parte não assiste e uma terceira parte, e sempre maior, se incomoda com quem assiste.Eu assisto o BBB porque eu sou uma grande estudiosa do relacionamento humano . Não, eu não vou ser dessas que tenta arranjar uma justificativa coerente com o que você acredita que faz uma pessoa ser ou não inteligente. Preciso confessar que sempre fiquei de longe observando essa briga entre os que criticam quem assiste BBB e os que assistem como quem assiste uma briga de leões dentro de uma jaula, torcendo ora por um, ora por outro, ou talvez eu nem esteja assistindo a briga porque a Tessália acabou de fazer massagem no pé do Alex e eu preciso conferir esse vídeo no Iphone perai que eu..

2008. Agosto de 2008 , numa tardinha, fui comunicar toda feliz para alguns amigos que tinha criado um blog de maquiagem. Alguns (muitos) criticaram, dizendo que era uma grande bobagem, para que criar um espaço tão fútil? E eu acabei concordando com alguns deles, e pensei que eu talvez estivesse sendo fútil mesmo...

nah, isso não aconteceu. Que google me livre se alguém realmente achar que eu não tenho valor nenhum porque eu gosto de falar ou mesmo comprar maquiagem. Eu sentiria muita pena dessa pessoa. Mas muita pena mesmo.

No mesmo ano tive contato com uma menina que sofreu um acidente de moto que lhe rendeu uma cicatriz no rosto bem marcada. Por causa disso, teve um grande problema de baixa auto estima durante muito tempo e mal saía de casa, porque simplesmente não conseguia sentir bem consigo mesma. E foi então que um dia ela comprou um corretivo, uma base, um pó e voillà. Com apenas 49 reais ela conseguiu sentir bem consigo mesma.

Então você tá querendo justificar que você curte maquiagem porque isso salvou a menina de um estado de depressão?

Não.

Não.

Não comecei a gostar de maquiagem pensando em todas as pessoas que poderiam se acidentar ou em buscar um sentido para isso. Eu uso PORQUE É MÓ LEGAL ME COLORIR. Eu abro minha necessáire e posso passar horas fazendo penteados e maquiagens e isso me diverte e para mim isso é suficiente. E mesmo sendo algo divertido, mesmo sendo algo inútil, ainda consegui conhecer uma pessoa que tinha uma história legal para contar e que a maquiagem para ela teve um sentido muito mais profundo do que para mim.

O dicionário trata futilidade como a incapacidade de produzir qualquer resultado, é o ato de ser totalmente inútil, imprestável. Mas todo mundo sabe que futilidade mesmo é tudo aquilo que a gente não gosta.

E é, cara.

Eu não vejo graça em futebol. Futebol para mim é fútil. Novela para mim é fútil. Mas é só porque eu não gosto. As coisas fúteis que a gente gosta a gente apelida de hobby e fica por isso mesmo.

A capacidade de assistir o BigBrotherBrasil e aprender alguma coisa com a história de vida de alguém ou até mesmo se identificar com o sofrimento de um terceiro não está diretamente ligado ao programa em si, mas na sua capacidade própria de se envolver com a história, de tirar algo dela.

Marina você joga todos os dias World of Warcraft calaboc você é um morto-vivo zumbi com fratura exposta o que você sabe da vida?GUESS WHAT...jogar World of Warcraft, assistir o Big Brother Brasil e seriados não faz de mim medíocre.

Assistir o dia inteiro um mesmo programa ou a capacidade de falar sobre um mesmo assunto é coisa de retardado, não confundam doença com futilidade. Ninguém vive sem seus momentos de lazer. A gente tem tanta realidade para lidar que precisamos de um escape, e cada um busca o seu caminho.

O mais engraçado é que as pessoas acreditam realmente que são mais inteligentes que outras por ter uma atividade de lazer diferente da outra pessoa. O cara que me zuou por escrever sobre maquiagem... joga futebol e tem uma comunidade de futebol no Orkut. Um outro que sempre falou mal do programa é viciado em truco.

Tá, então porque você assiste Big Brother?

Eu assisto porque eu posso. Ensina alguma coisa? Talvez sim. Talvez não. O que eu sei é que o meu horário de lazer eu uso como bem quiser. O ato de aprender ou tirar uma lição das coisas não está ligado necessariamente a importância que essa tem, mas sim na sua capacidade de reflexão, na sua capacidade de se questionar e querer tirar proveito de tudo aquilo que você vive.

Lembre-se sempre que é VOCÊ que tá vendo. É a sua visão. Se tudo que você olhar parece vazio, talvez você esteja olhando para dentro de você. E se você se sente um bosta por assistir Big Brother Brasil, não se culpe, não se sinta mal...

... talvez você só seja um bosta mesmo.

10 comentários:

Joyce Pfrimer disse...

Poxa! eu nem gosto de big brother, mas gostei demais do seu argumento.

Não digo que não assisto ou que nunca assisti...às vezes big brother acontece na vida da gente! hehe!

Gostei daqui...volto mais!

=)

Th disse...

Muito profundo!! Futebol é fútil! Novela é Fútil! WoW é Fútil!

============o// (corro pra não apanhar! heheh)

Mas sério, texto divertido, leve e ao mesmo tempo profundo, bom pros "intelectuais" (bem entre aspas) que vivem falando mal do BBB (ou de qqr outra coisa)

mibaal disse...

Lindow, migan, bora fazer um reality pro YouTuba, fifti-fifti.

Má B. disse...

Brigada, Joyce, a idéia não era nem falar pq eu assisto, mas defender a idéia de assistir mesmo ;)
----

Mibaal: demoréds, me filma q eu te filmo :*

maximumforma disse...

Meu seu blog é espetacular, show, not°10 desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família um grande abraço e tudo de bom
Ass:Rodrigo

Ériquinha Frota disse...

Falou e disse! Adorei o texto!
Tb vou voltar outras vezes aqui!
Bjão

oberdanorris disse...

Gostei muito do texto, usou o Big Brother como exemplo para algo maior, mas não o enfatizando.
Todos temos nosso lugar de lazer, mesmo que a coisa seja fútil (e que isso é variável, fútil para mim não pra você) considerada por "todos", não deixa de poder dá entretenimento à alguém.
Vejo BBB casualmente, raramente, quando não há algo de prioritário, não "crucifico" quem vejo, simplesmente não curto discutir sobre, justamente por não vê.
Discutir comportamento humano, você pode fazer sem a necessidade de ver.

Débora Melo disse...

meu pai falava que o bbb é um desserviço a sociedade.Aí eu assisti e tirei minhas conclusões. é um programa com outro qualquer, e que tem fãs ou não. Eu não assisto mas acompanho as vezes em blog que visito. Nada de extremos.

Cristiane disse...

Para mim não existe nada mais asqueroso que o BBB. Parece uma arena de gladiadores que reproduz a lógica da sociedade atual que é uma lógica da exclusão. Não há espaço para todos e a competitividade lança os que sobram no paredão. Além disso, os fins justificam os meios e quem gastar o tempo com mais vagabundagem (no sentido de não fazer nada mesmo) e sacanear mais os outros é premiado no final. Fora isso, eu adoro ver novela e não perco um capítulo do reprise de Alma Gêmea (nas férias!). Ninguém acredita que eu faço isso. Poderia dizer que é a composição dos personagens, da vilã etc. e tal. Mas não preciso. Todo mundo sabe quem eu sou - apesar deste hobby. Sabe do que mais? Raramente leio um post do tamanho deste seu (muito bom!). Adoro blogs! Tem coisa mais fútil?

Felipe Epaminondas disse...

Muito legal! Gostei do texto! ;)