18 de fev de 2011

O que o World of Warcraft fez comigo

Meu nome é Marina Bonafé, eu tenho 24 anos e estou há 8 horas sem jogar World of Warcraft.

Revendo uns emails antigos revi um pedaço de mim que se perdeu com o tempo (ainda bem): minha fase hardcore no World of Warcraft. Uma fase em que via com total seriedade os atributos e raids que minha personagem fazia tal qual fossem quests na vida real. Uma fase em que sair de última hora com a galera não era uma opção quando já tinhamos um compromisso marcado no game. Uma fase que durou mais tempo que eu gostaria, uma fase que, acabou, e de certa forma, ás vezes me deixa saudades.

Essa é uma comida de rabo que eu, como raid leader, dei com todo prazer no grupo que eu costumava jogar na época. Se eu culpo o jogo? Não, obviamente. A droga tanto faz, o controle ou a falta dele é culpa total das pessoas. Minha parte preferida é se não vier conversar, se não se preocupar em explicar a situação, fica impossível discutir, cabendo a mim autoridade para resolver qualquer problema sozinha. Deixei alguns ditadores no chinelo, eu acho. Quase um ano depois, ainda jogo, embora de forma completamente saudável. Jogar não é mais um compromisso e sim um lazer fatalmente substituído por encontros e saídas com amigos entre outras atividades que me tomam o tempo hoje.

Mas não vou me ater em detalhes porque nesse exato momento saiu um vídeo de um jogo de zumbis que estou doidinha para jogar

Um comentário:

Jaco disse...

Hardcore? Isso não é hardcore, é o que qualquer guild normal faz. Agora você deve ser mais ~casual~

mas você faz certo, WoW é um só jogo, um entretenimento a fim de divertir, se não é divertido, não vale a pena.