29 de mar de 2007

A.L

[atenção: antes de ler esse texto certifique-se de ler o 'Beatriz', seu antecessor ;D]

Segunda-Feira, dia 18 de Março de 2002.

Acordei cedo, o café tava pronto. Tinha pãozinho , margarina, presunto, queijo, do jeito que eu queria. Abri a geladeira e peguei um iogurte light, ignorando todas as delícias da mesa. Nem escovei os dentes, fui direto pra academia. Tinha festa a noite e eu precisava estar lindíssima. Mal sabia eu que aquele seria o pior dia da minha vida.
Quase 19h00, já estavam feitas as unhas do pé e da mão, o cabelo hidratado e secado, só faltava o banho. Entrei no chuveiro e comecei a chorar. De alegria. Nunca na vida estive tão feliz e tão bem em toda minha vida. As coisas estavam começando a dar certo de verdade. Faltavam dois meses pra começar o último ano de escola, e depois eu poderia prestar vestibular e me tornar veterinária, que é o meu grande sonho desde os catorze anos, quando ganhei um cavalo de aniversário do papai.
O telefone toca, era a Bruna perguntando se eu já tava pronta. Respondi que sim e ela passou lá em casa pra me buscar. Estava com uma calça jeans da Looney e perfume Ma Cherrie da Boticário, além de um scarpin da Arezzo que nada combinava com a tomara-que-caia da C&A. Mas Bruna era assim, brega pra cacete. Contava baixinho tudo que tinha rolado com o namorado no dia anterior (eles tinham ido para um motel) porque o motorista não podia ouvir. Bruninha era virgem até a noite passada, e para ela sexo era uma coisa deveras importante. Eu achava graça que uma menina tão bonita e inteligente fosse tão inocente assim, mas quem sou eu para tirar a alegria dos outros? Descobri o sexo cedo, aos 14 anos, com um priminho distante, e como era bem gordinha, percebi que era uma maneira interessante de fazer os meninos se aproximarem de mim. Mas agora que estava magra, linda e gostosa era EU quem escolhia quem ia pra cama comigo. E essa noite o sortudo era o Murilo.
Fomos quase as primeiras a chegar na festa, exceto por uma ou duas pessoas amigas da rua que já estavam bebendo. Peguei um martiny , pus uma cereja na ponta, e fui no banheiro ensaiar a melhor cara de sexy que eu poderia fazer. Meia-hora depois chegou Murilo, com calça jeans e camisa amarela. Estava lindo. Cumprimentou o pessoal, acendeu o cigarro e parou o olhar em cima de mim. Dei um sorriso direto e ele entendeu: veio até onde eu estava, pegou a minha mão e me levou pro canto da festa.
Conversamos pouco, e eu disse que queria ir pra casa dele depois da festa. Ele sorriu, aquele sorriso maroto, e eu me senti a mulher mais sexy do mundo. Passado alguns minutos, uma das minhas melhores amigas, a Bê, chegou, e eu fui cumprimentá-la. Trocamos algumas palavras e a Bruninha me chamou pra ir no banheiro para retocar sua maquiagem. Terminado o retoque, estava saindo e o Murilo estava me esperando do lado de fora. Disse que tinha que ir embora porque tinha acontecido algum problema com o pai dele, mas que voltava depois pra festa. 10 minutos depois, a Beatriz também foi embora e eu fiquei paranóica achando que eles tinham tramado alguma coisa. Bruninha até tentou me consolar, disse que era só coincidência, mas eu tava certa de que tinha acontecido alguma coisa ali. E foi então que eu tive uma idéia genial.
Saí da festa e segui a Beatriz pra ver até onde ela ia. Ela estava fazendo o mesmo trajeto da casa do Murilo, mas não me precipitei porque também era o trajeto da casa dela. Mas de longe, a vi entrando no prédio dele, enquanto ele apertava o botão da garagem pela janela. FILHOS DA PUTA. Eles vão me pagar !!!
Desesperada, comecei a chorar de raiva e pensei em ligar pros dois, gritar, espernear, ir pra casa. Fiquei uns minutos parada, chorando, e então me decidi. Interfonei para o porteiro , que já me conhecia, e pedi para abrir pra mim. Peguei o elevador para ir mais rápido. Entrei pela porta do fundo e fiquei parada pensando em como faria tudo. Ouvi um bate-boca e a porta da frente batendo com tudo. Vi o Murilo sentado no sofá, com as mãos no rosto, parecia chorar. Da cozinha, ele não podia me ver.

5 comentários:

Anônimo disse...

Peraí, ele brochou ou o pai dele morreu?

Gledson disse...

A mesma história?
Diferentes narradores?
Ou toda Beatriz quer dar pra um Murilo? xD

Anônimo disse...

e.............................

Carlos Gomes disse...

Calça jeans e camisa amarela, e mesmo assim estava lindo?
Era anos 80?

Carolina disse...

Continuação...?

=D

Adorei o texto..Quero saber mais...