7 de nov de 2006

Anseios de uma alma feminina III

Antes que pudesse me perguntar como ele conseguiu o telefone de onde eu trabalho, a secretariazinha jogou o aparelho por cima de mim resmungando num tom que ela julgou o suficiente para eu ouvir “- mas que demora”. Fingindo indiferença e disfarçando a surpresa, atendi o telefone:
- Alô?
- Cá? – disse ele,daquele jeito meloso que eu adoro. Digo,odeio.
- É.
- Cá,desculpa.
- Thiago, eu estou ocupada agora – menti. Já fazia meia hora que eu estava brincando de jogo da velha com a Vivi (ela estava ganhando de 8 a 5 )
- Tô sentindo sua falta!
- Ahan.
- É sério,Cá.
- Eu sei.
- Porque você não acredita em mim?
- Porque eu tenho um mínimo de cérebro?
- Cá, desculpa,eu tava bêbado.
- Eu também
- Quando?
- Durante todo o nosso namoro - desliguei o telefone.

(...)

Nunca tinha ido num massagista apesar de sempre ter tido vontade. Não entendia como uma simples massagem podia ser tão maravilhosa assim e não imaginava realmente que alguma coisa diferente de álcool pudesse me fazer esquecer dos problemas e da minha vida medíocre. Mas a Vivi tinha razão, era mesmo gostoso e, o melhor, não tinha a ressaca no dia seguinte.
Mas como todas as coisas boas da vida custam caro (com exceção da vodca – e é por isso que eu gosto tanto dela!) com o salário miserável e todas as despesas que eu tinha o único meio de conseguir massagem era casando com um massagista – o que não estava nos meus planos.
Aliás, eu tinha feito um pacto comigo mesma a respeito de relacionamentos. A primeira regra era não ser fácil demais, o que implicava necessariamente parar de beber. A terceira regra (considerando parar de beber a 2ª) era, por mais atraente que fosse, caras estranhos tinham manias estranhas e era melhor que ficasse longe deles. E quarta regra não deu tempo de inventar porque a Cátia chegou com duas garrafas de vodca pra nossa pré e eu não pude dizer não (tá, confesso que eu não resisti).

[De um livro que eu gastei 5 horas pra escrever 7 capítulos em um só dia e nunca mais mexi. Sim, estou reorganizando ele aos poucos e pretendendo terminar de escrevê-lo e não, não é auto-biográfico ;D ]

2 comentários:

Leandro Macow disse...

qdo terminar c manda um exemplar pa mim... na faixa claro... ou pelo menos com um belo de um desconto...

Bel disse...

I wanna read it! \o/